tecnologia

O uso da tecnologia de auto ID nas Olimpíadas

Você já parou para pensar sobre o quanto a tecnologia está presente em nossas vidas?
O quanto nós a utilizamos até mesmo sem nos darmos conta?

Uma coisa é fato: ela não para de evoluir e beneficiar os mais diferentes setores da sociedade: seja em equipamentos eletrônicos, nos meios de comunicação, na economia, na saúde, etc. Se formos analisar, a tecnologia está em todos os lados.

Entendemos que o dia-a-dia é tão corrido que às vezes as coisas mais óbvias passam despercebidas. Por isso mesmo você deve estar se perguntando onde estamos querendo chegar com esta conversa, e aqui vai à resposta: sem as evoluções tecnológicas, provavelmente hoje viveríamos em um mundo totalmente diferente.

logo-200pxPor isto, hoje nós iremos apresentar a auto ID, uma ferramenta que provavelmente pelo nome muita gente nem conheça, mas que é muito utilizada nos mais diversos segmentos e será fundamental para este evento global que acontecerá em agosto aqui no Brasil: as Olimpíadas.

Mas afinal, o que é auto ID?

proximityA identificação automática, também chamada de auto ID, consiste em um conjunto de tecnologias que possibilitam uma captura automática de dados. Algumas destas tecnologias são: código de barras, reconhecimento óptico de caracteres (OCR), identificação por radiofrequência (RFID), sistemas de inspeção visual, SmartCards, reconhecimento de fala e biometria. Utilizando a auto ID, você pode identificar objetos e capturar informações sobre eles, sem necessariamente precisar contar com uma pessoa para ficar digitando ou manuseando o sistema o tempo todo.

Se você ainda não entendeu a importância da auto ID na sua vida, imagina como seria sem os pagamentos por boleto, os rastreamentos de cargas e de animais, as identificações por digitais e os cartões magnéticos. Isto só para começar, já que estas são apenas algumas das funções atribuídas a esta tecnologia.

Como seriam realizados eventos gigantescos sem um sistema tecnológico que garantisse a organização de tantas informações? Como seriam todos os trâmites de ingressos e transportes tivessem que ser realizados manualmente? Quais seriam as chances de uma pessoa cometer um erro, já que estaria lidando com tantas informações? E quantas pessoas seriam necessárias para executar essas atividades, enquanto poderiam estar fazendo outras coisas? Entenda a aplicação da tecnologia auto ID nas Olimpíadas de 2016 que acontecerá aqui no Brasil.

A RFID e as Olimpíadas no Brasil

Como já dissemos, a RFID, também chamada de identificação por radiofrequência, é uma das tecnologias que compõe o sistema auto ID. Ela foi inventada na década de 1980 pelo físico escocês Sir Robert Alexander Watson-Watt ea princípio sua função era sistematizar os radares utilizados por países como Alemanha, Inglaterra e Estados Unidos.

Estes radares possibilitavam então as notificações da aproximação de aviões, ainda que eles estivessem distantes, visando preparar estes países para se defenderem de ataques inimigos. Hoje a RFID executa diversas funções, podendo ser utilizada inclusive para melhorar a eficiência interna das empresas, para fazer o rastreamento de vacas e até mesmo para o acionamento de equipamentos em poços de petróleo.

RFIDA identificação por radiofrequência é composta por um leitor e um transponder – que pode estar disponível em diversos formatos como pastilhas, argolas e cartões -, contando com um microchip ligado a uma antena. Esta antena possibilita que o chip faça a transmissão de uma informação que será identificada e convertida pelo leitor. Desta forma, essas informações digitais serão transmitidas a computadores, possibilitando por fim, sua utilização.

Em relação às Olimpíadas, é importante que você se lembre de que se trata de um evento que conta com a estimativa de 2,3 milhões de pessoas – incluindo atletas, funcionários e espectadores. Diante de um evento gigantesco como este, já pensou sobre como funcionaria a organização e distribuição de certos processos como os ingressos, as passagens para transportes e o consumo de comida e bebida de tanta gente? É aí que entra a identificação por radiofrequência.

ingressos-olimpiadas-e1462822104721A partir desta tecnologia, serão empregados chips nos cartões dos espectadores. Cada cartão é equivalente a um ingresso, além de também poder ser utilizado pelos turistas para se locomoverem livremente nos transportes públicos do Rio de Janeiro e realizarem compras de objetos de valores pequenos. É como se fosse um cartão de crédito que o turista pode usar para assistir aos jogos, andar de ônibus e metrô e ainda fazer pequenas compras. Ou seja, sua segurança estará mais garantida, já que não precisará sair andando com grandes quantias de dinheiro, e o próprio evento também estará salvo de possíveis ingressos falsificados, já que o chip disponibilizado no cartão evita qualquer tipo de fraude.

corrida-olimpiadasA identificação por radiofrequência também poderá ser implantada nos atletas que disputarão as Olimpíadas, permitindo detectar com altíssima precisão o posicionamento, velocidade e rendimento de cada um deles; garantindo desta forma a avaliação certeira sobre qual esportista teve o melhor desempenho em cada jogo.

A RFID a ser utilizada nas Olimpíadas de 2016 no Brasil já é adotada em outros eventos, possibilitando a sistematização de todas estas informações, garantindo a segurança do cliente, acelerando os trâmites dos bilhetes e outros produtos vendidos e assegurando a proteção contra fraudes. Portanto se você nunca tinha ouvido falar sobre esta tecnologia de identificação por radiofrequência, saiba que ela realmente está presente e veio para facilitar a vida de todos.


Se você se interessou pelo sistema de autoID e quer saber mais, baixe o nosso ebook “Damatrix, RFID e RTLS”!

Nele você vai encontrar sobre as principais aplicações, as tecnologias que englobam o mundo de auto identificação, e ainda veja as soluções tecnológicas que hoje já fazem parte da nossa realidade!

autoid

Deixe uma resposta