2017-06-22

Entenda como SP reduziu suas filas de atendimento para exames

O grande tempo de espera em filas de atendimento é um dos principais problemas que atinge as grandes cidades brasileiras. Em São Paulo, por exemplo, dados divulgados em 2016 mostravam que, para a realização de simples exames, as pessoas tinham que aguardar por volta de cinco meses.

Considerando as necessidades e a grande demanda que envolve os serviços de saúde, aguardar tanto tempo assim é extremamente prejudicial e pode acarretar em grandes problemas. A falta de um exame, uma consulta e até mesmo procedimentos cirúrgicos está diretamente relacionada com um grande índice de problemas na saúde.

filas de atendimento

O que está sendo feito?

Buscando modificar o cenário das filas de atendimento, a implantação de alternativas e programas voltados para a Gestão de Saúde está acontecendo e já mostra resultados.

Essas mudanças envolvem a colaboração de empresas privadas, investimentos financeiros altos e também a colaboração da população.

Pontos importantes para conseguir reduzir as filas de atendimento

Para conseguir fazer a redução das filas de atendimento em São Paulo, a gestão de saúde precisou cuidar de alguns pontos essenciais. Vamos discutir sobre eles.

  • » Economia: esse é um dos grandes problemas que apenas a gestão de saúde não tem capacidade de resolver. As crises financeiras pelas quais o país e a população vêm enfrentando nos últimos anos, levam a uma menor capacidade de trocas econômicas. Isso também se liga diretamente ao aumento da taxa de desemprego, impossibilitando que boa parte da população tenha condições de, por exemplo, bancar um plano de saúde. Com isso, a necessidade e a dependência do sistema público de saúde aumentam, levando a demanda a crescer cada vez mais. Quanto maior a sobrecarga, maior o tempo de espera. Portanto, para que seja possível atender às pessoas, é preciso buscar alternativas e contar com importantes parcerias;
  • » Hospitais Privados e parcerias: o projeto social Corujão da Saúde, iniciado em 2017 na cidade de São Paulo, conta com a participação de instituições de saúde privadas que aceitaram, através de parcerias com os governantes da cidade, realizar atendimentos em horários em que não existam grandes demandas. Para isso, eles receberão o valor da tabela correspondente ao SUS – Sistema Único de Saúde;
  • » Governo: as articulações feitas pelos governantes para conseguir as parcerias com hospitais privados vêm se mostrando essenciais para que o objetivo de zerar as filas de exames do SUS seja concluído com sucesso. Esses acordos acontecem através do repasse de recursos para as instituições, que fazem os atendimentos nos horários do “corujão”, como sugere o nome do programa – das 20h00 às 8h00;
  • » Povo: novidades nem sempre são compreendidas com facilidade pela população e, neste caso, não é diferente. Para que projetos como o Corujão da Saúde funcionem e sejam eficientes, é importantíssimo que o povo também colabore. Os horários de atendimento são diferenciados, a maioria no período da noite, portanto se faz necessária uma melhor organização para que tudo ocorra sem problemas;
  • » Produtividade e rotatividade: por mais positivos os resultados da implantação do Corujão da Saúde e outros programas visando a gestão dos atendimentos à população, a rotatividade ainda é algo a ser enfrentado. Isso porque quem consegue um atendimento hoje, precisará aguardar um bom tempo para retornar e obter os resultados da consulta anterior. Lidar com essa produtividade e rotação dos atendimentos ainda é um desafio, mas que somente com o tempo serão avaliadas as formas de enfrentar o problema.

corujao-saude

De fato, trabalhar para conseguir reduzir o tempo de espera da população nas filas de atendimento da saúde é bastante desafiador. A busca por alternativas, como a criação do programa Corujão da Saúde, é a mostra de que com empenho e dedicação é sim possível melhorar a qualidade de vida das pessoas.

Ainda que faltem acertar muitos outros pontos, o primeiro passo foi dado. O tempo de espera que chegava a mais de cinco meses, hoje é muito menor. Essa é a melhor prova do quão importante é adotar novos modelos de gestão da saúde. Com aprimoramento e desenvoltura, frutos ainda mais positivos irão surgir, trazendo não somente a criação de outros programas sociais, mas atingindo uma parcela ainda maior de pessoas.

O que você está achando das alternativas adotadas em São Paulo para a redução das filas de atendimento? Qual a importância, em sua visão, dos novos métodos de Gestão de Saúde para as grandes cidades brasileiras?

gestao opme

Deixe uma resposta