2017-07-28

Conheça como é o processo de acreditação de uma instituição de saúde

Hospitais, assim como outras instituições de saúde precisam estar em contínuo esforço para melhorar as instalações, o quadro de funcionário, a capacidade tecnológica e o atendimento ao público.

Mas se cada um usar da própria experiência ficará difícil estabelecer um padrão, bem como gerar comparações justas entre diferentes instituições.

Para isso é que existe a acreditação hospitalar. Ela funciona como uma certificação, mas é voltada exclusivamente para a área da saúde.

É importante frisar que a acreditação não é uma norma, como tantas editadas pelo governo através da ANVISA, mas um conjunto de boas práticas educacionais que visa assegurar a qualidade no atendimento e nos serviços prestados. Dessa forma, podemos entender que a acreditação, embora não seja constituída por normas, é guiada por uma metodologia que objetiva melhorar o funcionamento da instituição como um todo.

Gestão

Por englobar não apenas uma área e nem isolá-las, mas enxergar sua atuação em conjunto, a acreditação de uma instituição de saúde está relacionada diretamente aos processos de gestão, já que precisa ser fomentada e divulgada desde um ponto central de comando até todas as ramificações da organização.

O gestor é, portanto, uma figura de grande importância no processo, embora não possa fazer nada sozinho. Ele é o agente, não apenas da transformação quando necessária, mas da administração daquilo que já foi alcançado. Ele não trabalha sozinho nem estabelece normas rígidas e imutáveis, mas guia e lidera pessoas e departamentos para que a instituição alcance o objetivo em comum que é a acreditação.

Qualidade

A acreditação hospitalar não é um processo fiscalizatório, embora seja baseado em padrões e metodologias que deverão ser cumpridos pela instituição que deseja obtê-la. Ela é, portanto, uma ferramenta de gestão que vai propiciar ao hospital ou instituição de saúde as ferramentas para se atingir a tão sonhada qualidade.

Esta, por sua vez, é obtida diariamente, é uma melhora contínua, e por isso, a instituição recebe uma espécie de manual educativo a ser seguido e compartilhado pela gestão. Entre os padrões sugeridos está, por exemplo, a racionalização da utilização de materiais e insumos, o que diminui os desperdícios e aprimora os resultados da instituição.

Outra parte importante desse processo diz respeito a como a instituição lida com a documentação gerada todos os dias. Esta adequação pode passar pelo redesenho de processos e pela aquisição ou alteração dos sistemas de informação utilizados pela entidade.

A adoção de processos de documentação modernos e eficientes em substituição aos antigos sistemas de papel e caneta costuma ser imprescindível para uma gestão eficiente das informações coletadas e armazenadas em cada dia.

Quem “dá” a acreditação

A acreditação médica, por seguir uma série de normas e procedimentos que precisam ser verificados, não pode ser certificada pela própria organização. É necessária a atuação de um órgão competente para isso, não necessariamente ligado à esfera governamental, já que não estamos lidando diretamente com leis, mas com as melhores práticas.

Os principais programas de acreditação são:

  • » ONA (Organização Nacional de Acreditação);
  • » Joint Commission International;
  • » NIAHO – Acreditação Nacional Integrada para Organizações de Saúde;
  • » HIMSS – Healthcare Information and Management Systems Society;
  • » Accreditation Canada.

acreditacao

O que é verificado

Cada instituto irá verificar uma série de pontos, a maioria deles em comum, porém cada uma com seu método e peculiaridades próprios. Por ser a principal instituição utilizada em solo brasileiro, vamos focar em como a ONA realiza a acreditação.

A ONA irá, primeiramente, verificar requisitos básicos para que a organização esteja apta a participar do processo de acreditação, ou seja, candidatar-se a ela. Itens como estar em funcionamento a mais de um ano, além de possuir todos os alvarás e licenças necessários para funcionar.

Após isso, ela verificará três níveis distintos que vão desde a avaliação das condições físicas, de pessoal e de equipamento para o nível 1, passando pela verificação de como o serviço de assistência médica é realizado no nível 2 e, finalizando, com a análise dos resultados e do impacto das intervenções realizadas pela instituição na população que recebeu esses serviços para a composição do nível 3.

Os certificados emitidos têm validade limitada e um novo processo de acreditação é necessário para sua renovação ou para angariar novos níveis.

Não importa por qual instituição, qual o nível ou o tempo que a acreditação irá perdurar, o importante é o resultado geral para a instituição, obtido com o ganho de qualidade resultante do enquadramento nesses processos. Por essas e outras que, a acreditação de uma instituição de saúde, só trará benefícios para quem optar por realizá-la.

Quer saber mais sobre esse processo ou nos ajudar com alguma informação complementar? Então junte-se a nós utilizando a seção de comentários.

controle automatizado

Deixe uma resposta