Nanocarbono – Como esse material contribui na medicina


nanocarbonoOs nanotubos de carbono, NTC (CNT, do inglês carbon nanotube), são cilindros ou tubos ocos feitos de nanocarbono em proporções muito, mas muito pequenas, para os parâmetros de uma pessoa comum. Para termos uma ideia do quão pequenos eles são, as medidas deles são nanométricas (1 nanômetro é igual à bilionésima parte de um metro (10-9 m)).

As possibilidades de aplicação desse material no mundo moderno são praticamente infinitas, especialmente, porque o material produz condutividade, ou seja, ele trafega a corrente elétrica e, tal característica, pode ser usada nas telecomunicações e na microinformática em geral.

Tanto que a IBM, gigante do ramo das telecomunicações, já se adiantou e começou a desenvolver aplicações com os nanotubos. Eles já conseguiram desenvolver transistores com o material e os aperfeiçoaram para chips de computadores. A miniaturização desses materiais pode resultar em equipamentos ainda mais leves e eficientes no futuro.

Mas, e na medicina? Quais são as possibilidades de uso para o nanocarbono na área da saúde?

Inovação e o Nanocarbono

A utilização dos nanotubos na medicina, assim como o nanocarbono como material cria uma gama de possibilidades capaz de revolucionar alguns tratamentos. Eles podem, por exemplo, ser colocados dentro das células do nosso corpo para fazerem o papel de sensores, e isso só é possível devido ao seu tamanho extremamente reduzido. Esses sensores poderiam fornecer diagnósticos e ajudar em tratamentos médicos.

Eventuais avanços em nanotubos possibilitarão a produção de matrizes compostas por milhares de sensores. Essas poderiam ser as responsáveis pelo monitoramento simultâneo de tecidos, fornecendo um mapa bastante detalhado e preciso do comportamento celular, algo inestimável para os processos de reconstrução em âmbito celular.

Infelizmente, essa aplicação ainda é uma possibilidade, já que, uma vez dentro da célula, o material é nocivo para elas, causando as suas mortes. Entretanto, os cientistas trabalham numa alternativa como revestir o material com uma substância familiar ao corpo humano, como a mucina e, assim, evitaria a morte celular.

Outra aplicação que pode se beneficiar do emprego do nanocarbono é aquela conhecida como drug-delivery. Trata-se do transporte de medicamentos na corrente sanguínea que é facilitado pelo emprego desse tipo de substância, fazendo com que a droga seja direcionada para as células doentes, as quais realmente precisam ser tratadas pela medicação.

É importante observar que o método tem sido empregado com sucesso no tratamento do câncer, em particular, o de mama. Isto se deve, principalmente, ao maior acúmulo do quimioterápico na região do câncer, quando conjugado com os nanotubos.

Diagnósticos mais precisos

Na área de imagiologia, ou seja, na área de medicina diagnóstica por exames de imagem, o nanocarbono também faz um bom papel devido a uma de suas características mais vantajosas: o aumento do contraste. Uma das dificuldades em exames de imagem é diferenciar as várias camadas de tecido, órgãos, ossos e etc., para visualizar apenas o que se deseja.

Com o emprego do nanocarbono, será possível direcionar as partículas do material para a área desejada, aumentando incrivelmente a nitidez das imagens visualizadas e, favorecendo, em muito, o diagnóstico realizado pelo profissional de saúde.

Neurocirurgias

Tumores cerebrais ainda representam um desafio para a medicina. Eles podem ocorrer com qualquer pessoa e a probabilidade de serem malignos (cancerígenos) é de cerca de 70%.

A cirurgia para remoção desses tumores ainda é bastante complicada, embora se espere que os nanotubos de carbono sirvam para tornar a tarefa um pouco menos complicada. Isso graças às capacidades do material, tanto de reflexão quanto de transporte.

Em termos mais simples, é como se o cirurgião pudesse ser guiado pelos caminhos dentro do crânio por um avançado sistema de GPS. As chances de sucesso serão maiores, assim como as complicações e sequelas tendem a diminuir com a maior precisão dos procedimentos.

Espera-se que até 20% dos tumores,os quaishoje são inoperáveis, o sejam com a implantação da nova técnica.

Como podemos ver, o nanocarbono é um material que já nasce revolucionário. Graças a ele, várias áreas como as das telecomunicações, a da microinformática e a da medicina poderão apresentar melhorias significativas nos próximos anos.

Esperamos que técnicos, pesquisadores e outros profissionais continuem estudando, pesquisando, trabalhando para que o nanocarbono, e outros materiais e técnicas que venham a surgir, sejam utilizadas para promover o bem-estar de toda a humanidade.

Gostou deste conteúdo? Que tal se aprofundar e ver este post sobre o Dr.Digital Hospital sem Papel? Não se esqueça de deixar sua opinião. Até a próxima!


download-ebook


Deixe um comentário

Seu email está seguro conosco.