2017-03-16

Já se consultou com o Dr. Google?

google

A quantidade de informação disponível online é tamanha que muitos assuntos, antes considerados inacessíveis, popularizam-se cada vez mais. Consultamos preços, buscamos por receitas, e até mesmo verificamos a opinião de usuários sobre produtos e serviços.

E quando se falava em saúde, havia a clara separação entre a sabedoria popular e as receitas caseiras, chás e ervas com a medicina tradicional. As pessoas iam ao médico e confiavam cegamente no que era dito por ele, já que não possuíam base para argumentar. Ler a bula de um remédio era algo praticamente impossível para a maioria das pessoas, como se ela estivesse escrita em outro idioma.
idoso no googleHoje temos o Google. O mecanismo de busca da gigante da internet se tornou a principal ferramenta para pesquisa sobre qualquer assunto. Aquelas longas discussões de bar são agora são encerradas com alguns cliques.
Graças ao Google e toda informação disponibilizada por ele, temas mais técnicos e complicados começaram a ganhar interesse entre a população com acesso à internet. Até mesmo os idosos estão aderindo à tecnologia, mostrando-se antenados.

Buscando ajuda online

Em tempos remotos, o único jeito de saber o que alguns sintomas representavam era indo ao médico ou a uma farmácia. Os farmacêuticos costumavam ser consultados informalmente e receitavam remédios para doenças e problemas cotidianos, tais como resfriados, picadas de insetos ou pequenos ferimentos.

Com a popularização da internet, basta reunir a informação necessária e consultar o Dr. Google. Uma pessoa gripada, em dúvida se aquela gripe é comum ou representa algo mais grave como dengue ou febre amarela, vai ao mecanismo de busca e procura pelos sintomas específicos de cada doença. Desta forma, ela o compara os resultados com os seus sintomas e decide se deve ou não ir ao médico.

Mas nem só para identificar doenças o Google é utilizado. Muitas pessoas que buscam por informação médica no mecanismo de pesquisas estão em busca de tratamentos. Elas querem saber como combater problemas como a acne, calvície, dores diversas e, até mesmo, impotência sexual.

Qualidade de vida

A boa notícia é que mais e mais pessoas estão se preocupando com a saúde preventiva. Dietas, nutrição e exercícios físicos vêm ganhando destaques nas procuras realizadas no Google.

Cada vez mais, pessoas querem informação de como realizar exercícios físicos, qual alimentação é mais adequada e o que não fazer para manter uma vida saudável. Isso tem sido possível graças ao acesso à tecnologia provido por dispositivos móveis como celulares e tablets. É possível comparar a eficácia de produtos naturais, suplementos e até remédios utilizando o mecanismo de buscas.

google

Essa revolução já é percebida pelos profissionais da saúde. Com o auxílio da informação previamente consultada no Google, pacientes passaram a argumentar com seus médicos e outros profissionais sobre tratamentos, procedimentos e remédios.

Mas todo esse acesso à informação médica também pode causar complicações. Alguns pacientes acabam usando a internet como uma arma contra os médicos, questionando todas as decisões deles com base no conteúdo encontrado online. Ou seja: algumas pessoas apoiam-se no mecanismo de pesquisa como um substituto para profissionais experientes e preparados.

Os perigos da automedicação

Se por um lado o Google popularizou a informação médica para vasta parcela de pessoas, ele também criou um comportamento perigoso em muitas delas.

A falta de conhecimentos médicos específicos tem levado indivíduos que buscam informações na internet a realizarem diagnósticos equivocados. Seja por não considerar todos os sintomas ou por não saber como usar o conhecimento adquirido, elas estão deixando de procurar um profissional – seja um médico, nutricionista, preparador físico – e realizado tratamentos e medicações por conta própria e sem nenhum tipo de acompanhamento.

Esse comportamento é extremamente perigoso. Por mais dados que se encontre na rede, ainda falta o preparo para lidar com informações e isso não se pode encontrar na internet.

A tecnologia está disponível para ajudar, para consulta e esclarecimento, mas em nenhuma hipótese o Dr. Google substitui um profissional de verdade. Ainda há o perigo de a pessoa se deparar com conteúdo incorreto ou desatualizado na grande rede.

Por isso, é preciso usar os mecanismos de busca e o conhecimento disponível online com bom senso. Antes de tomar um remédio, iniciar um tratamento, uma dieta ou mesmo uma atividade física, consulte sempre um profissional da área. Lembre-se de que com saúde não se brinca.


 

5-rights

Deixe uma resposta