2017-03-06

Distribuidor de OPMEs: Você sabe o que fazer para ser mais eficiente?

Ser um distribuidor de OPME (órteses, próteses e materiais especiais) no Brasil, demanda uma série de precauções e atitudes para obtenção de sucesso no mercado.

Muitos são os desafios num país de dimensões continentais e grande desigualdade social. É preciso lidar com custos diferenciados, alta carga tributária e com as variações econômicas que podem acontecer a qualquer momento.

Entender o momento do OPME no país é o primeiro passo para que o distribuidor de OPME possa se adequar ao mercado e ter melhores resultados. Para isso, é importante que estude e entenda o panorama nacional brasileiro no que diz respeito à gestão de OPME.

A questão dos custos

O mercado de produtos voltados para a saúde costuma demandar altos índices de qualidade, seja nos produtos em si, seja nos prazos para entrega. O distribuidor de OPME precisa estar sempre atento à qualidade dos produtos que comercializa, mesmo não sendo responsável direto pela fabricação.

Também é o distribuidor quem responde pelos prazos de entrega, sendo preciso lidar com uma logística complexa e custosa para que tudo saia dentro do esperado.

É um trabalho que envolve um complexo desenho e registro de processos já que, para piorar, cada cliente e fabricante possui processos próprios que devem ser levados em conta.

Para auxiliar nessa tarefa tão complexa e evitar perdas de prazo ou de produtos, provocados por extravio, roubo ou expiração da data de validade, a tecnologia surge como aliada.

Modernos sistemas de gerenciamento são necessários para lidar com todas as variáveis envolvidas no trabalho do distribuidor de OPME.

A tecnologia em socorro

Imagine lidar com tantos desafios diários apenas contando com a qualidade das pessoas e com obsoletos registros em papel? Consultar onde determinado produto se encontra, seria uma atividade que levaria horas, ou até dias.

É aí que entra a rastreabilidade. Graças a ela, o distribuidor de OPME consegue ter em mãos, de forma rápida e segura, um inventário de todo o material sob a sua responsabilidade. Além de trazer vantagens operacionais e comerciais, a rastreabilidade também é uma obrigação.

Um passo importante em termos de rastreabilidade foi dado pelo governo. Foi ele quem definiu, por meio da ANVISA, um padrão para a tecnologia de rastreabilidade de medicamentos, o que também engloba os OPMEs e todos os envolvidos nessa cadeia.

Num país com tantas mudanças e incertezas, essa é uma ótima notícia. Agora, não apenas o distribuidor de OPME, mas todos os envolvidos nesse processo como fabricantes, laboratórios, operadores de logística e hospitais terão que estar preparados para falar a mesma língua, a da rastreabilidade.

distribuidor de opme

Processos mais claros

Com o advento da rastreabilidade, será possível fazer a otimização dos processos que controlam a distribuição de OPMEs. Com a tecnologia, é possível analisar qual o tempo necessário para determinado produto deixar a linha de produção até que chegue ao usuário final.

Será possível calcular e controlar a quantidade necessária de produtos, trabalhando-se com uma margem de erro muito menor e conseguindo uma significativa redução nos custos.

Para isso, será preciso usar o que a tecnologia tem de mais avançado: sistemas inteligentes, leitores e scanners, relatórios baseados em estatísticas geradas a partir dessa grande massa de dados, os quais envolverão desde a venda até a entrega de órteses, próteses e materiais especiais.

Comunicação

Processos mais bem definidos e desenhados, cenário governamental mais claro, uso da tecnologia em grande escala. Estas são as diretrizes que deverão guiar o distribuidor de OPME nos próximos anos.

Espera-se que, com isso, seja possível alcançar processos mais transparentes e melhorar a comunicação entre fabricantes, distribuidores, hospitais e pacientes. A rastreabilidade dificultará atividades ilícitas como o repasse de produtos roubados e/ou desviados e, ainda, deve ajudar a diminuir o lobby entre profissionais de saúde, algo que encarece por demais os OPMEs.

É chegada a hora de todos darem um passo adiante, em direção a um futuro que já é realidade em outros mercados e países. O mercado em que as pessoas e a tecnologia são um, unidos pelo bem maior representado pela saúde e pelas possibilidades por ela oferecidas.

Distribuidor, junte-se também ao time dos ganhadores. Só depende de você e da sua vontade de integrar esse time, para que todos possam ganhar juntos.


 

gestao opme

Deixe uma resposta