2016-06-21

Digital healthcare e as redes sociais

A utilidade das redes sociais vai muito mais além do que clicar em um botão para curtir. Empresas de vários setores as vêm utilizando para divulgar e expandir suas marcas, adotando esse canal de comunicação alternativo com alta frequência.

O principal benefício de se recorrer a uma comunidade online está no fato de que as informações circulam de maneira muito mais acelerada do que em meios impressos. E se uma marca souber usar isso a seu favor, dificilmente perderá a preferência de seus fãs e seguidores.redes-sociais

Enxergando essa realidade, a indústria farmacêutica passou a adotar também essa ideia, apoiando suas estratégias de comunicação através de uma série de atividades relacionadas à saúde e ao bem-estar. Ao mesmo tempo em que levantam a bandeira do estilo de vida consciente, fabricantes de remédios, redes hospitalares, distribuidores de aparelhos médicos, entre outros mostram ao mundo os produtos que compõem seus portfólios atuais.

Trata-se de uma manobra efetiva para agregar valor à corporação que lida diariamente com um assunto considerado importante e delicado, visto que uma parcela da população as vê como um grande conglomerado que visa unicamente o lucro enraizado na insalubridade. E para provar que esse tipo de percepção é errônea, as empresas do setor de saúde adentram as redes sociais para criar uma nova imagem.

Apoio mútuo nas redes sociais

Já que estão inseridas no mundo online, as empresas que apresentam atividades baseadas nos serviços médicos utilizam as redes sociais para engajar o público em geral em suas campanhas contra doenças mundiais. As iniciativas são jogadas na rede para que as pessoas tomem conhecimento da importância de realizar exames periodicamente, visitar especialistas conforme indicação e, não menos importante, praticar exercícios físicos.

Munidas de dados provenientes de fontes confiáveis, como por exemplo a Organização Mundial da Saúde (OMS), gigantes farmacêuticas demonstram preocupação genuína em reduzir a ocorrência de episódios de câncer, HIV, tuberculose, anemia, etc. E é nas redes sociais que tais campanhas ganham força a partir do que se denomina inteligência coletiva, termo que prevê o compartilhamento de informações relevantes para todos.

Já se observa, por exemplo, como ex-fumantes relatam suas trajetórias para largar o vício do tabagismo, postando em plataformas ligadas à Internet quais são as melhores dicas para que essa fase transitória tão difícil se concretize com maior facilidade. Resumidamente, são indivíduos que se inspiram em suas próprias trajetórias para minimizar problemas de seus semelhantes.

Leia mais aqui »  “A internet das coisas está ajudando a salvar vidas”

Oportunidade gera oportunidade

Os acontecimentos que ocorrem no mundo online não passam despercebidos por aqueles que monitoram tendências válidas. Agências digitais, focadas em descobrir novas tecnologias que facilitem o hábito de conectar as pessoas, já demonstram que estão de fato fazendo a lição de casa.

Por essa razão, não é de se surpreender que já tenham desenvolvido uma plataforma de gestão de mídias sociais para auxiliar os nomes da indústria de cuidados com a saúde. Uma ferramenta como essa se mostra útil a partir de distintos pontos de vista, entre eles:

  • » A unificação das mensagens nas redes sociais
  • » A melhoria da experiência de seus clientes, fornecedores e consumidores finais
  • » A garantia de que seus esforços de comunicação e marketing estão em conformidade com a legislação
  • » A automatização da publicação de certos conteúdos
  • » A medição e avaliação do alcance atingido pelas campanhas de comunicação
  • » A geração de relatórios para melhoria a partir de insights
  • » A personalização de contatos direcionados à grupos específicos
  • » O desenvolvimento de aplicativos para combinar as atividades nas redes sociais como o que há de mais tecnológico

Casos de sucesso

redes-sociaisPacientes com problemas graves de saúde podem se beneficiar, e muito, das redes sociais com foco em tratar de tópicos de seus interesses. São pessoas que podem utilizar o ambiente virtual para buscar respostas para possíveis questionamentos, discutir sintomas relacionados às suas condições, debater novas opções de tratamentos e muito mais.

No entanto, as possibilidades vão muito mais além do que o simples compartilhamento, pois as redes sociais conseguem interligar pacientes portadores de doenças limitantes, as quais restringem a capacidade de interação presencial. Quando não conseguem deixar suas casas para exercer atividades comuns devido à incapacidade que determinada doença lhes atribui, tais pacientes acabam contando com as redes sociais para atingir a integração social de forma alternativa. São indivíduos que, mais uma vez, dependem parcialmente da tecnologia para se conectar, criar laços, interagir com demais doentes participantes do mundo virtual.

Redes sociais demonstram ter muito mais utilidades do que se imaginava inicialmente. Compartilhe você também o conceito de dividir experiências relacionadas aos serviços médicos para promover a qualidade de vida em geral. E acompanhe nossos conteúdos para saber como usar a rede em prol da saúde e do bem-estar de quem precisa.

redes-sociais


Deixe uma resposta