impressao-3d

Como a tecnologia de impressão 3D pode ajudar a medicina?

Kaiba Gionfriddo, 5 meses de idade. Mina, 2 anos. Hu, 46 anos. Garret Peterson, 16 meses de idade. O que eles têm em comum? Todos tiveram uma segunda chance de vida graças à tecnologia de impressão 3D. São exemplos de como a inovação tecnológica do setor médico pode salvar vidas.

impressao-3dKaiba sofria de uma doença chamada traqueobroncomalácia, que impedia o oxigênio de chegar até os pulmões. Com a impressão em 3D, a equipe médica criou uma prótese de traqueia e a implantou com sucesso em Kaiba. No caso de Mina, a garota britânica nasceu com um buraco entre duas câmaras do coração. Para se preparar para essa cirurgia delicada, a equipe médica imprimiu um coração em 3D para estudar e ver a melhor forma de realizar o procedimento. Outro caso muito divulgado foi o do chinês Hu, de 46 anos. Depois de cair de um prédio, perdeu parte do crânio e ficou com a cabeça deformada. Para solucionar este problema, os médicos desenvolveram uma malha de titânio fabricada em impressão 3D, que foi colocada junto aos ossos do crânio. Outro exemplo foi do bebê americano Garret, que tinha uma doença rara, a qual deixava a traqueia flácida e atrapalhava a sua respiração.3dprint

Esses casos são apenas alguns exemplos de como o avanço tecnológico na Medicina pode salvar vidas. Mas há também outras funcionalidades da impressão 3D. As impressões 3D podem ser utilizadas com diferentes materiais, inclusive ligas de níquel, fibra de carbono, vidro, tinta condutora, eletrônicos, bem como em materiais farmacêuticos e biológicos.

Usos da impressão 3D na Medicina

Além de utilizar para os casos citados acima, a pesquisa na área de saúde e, por óbvio, no setor médico, tem utilizado muito as impressões em 3D, garantindo cada vez mais a inovação e o avanço de tratamentos médicos e procedimentos cirúrgicos. Alguns exemplos são:

  1. Impressão de implantes dentários.
  2. Personalização de medicamentos.
  3. Impressão de vasos sanguíneos e tecido cardíaco.
  4. Impressão de células tronco embrionárias humanas: essas células tronco em 3D podem ser utilizadas para produzir tecidos para testes farmacológicos ou até mesmo desenvolver órgãos para transplante.
  5. Imprimir pele, com objetivo de realizar testes in vivo de cosméticos e também para outras finalidades, como lesões por queimaduras ou doenças de pele.
  6. Impressão de cartilagens e de ossos e implantes ortopédicos.
  7. Impressão de células com intuito de estudar o câncer.
  8. Impressão de órgãos: o cirurgião Anthony Atala já desenvolveu pesquisas focadas em órgãos impressos.
  9. Impressão de biomodelos para preparação de procedimentos neurocirúrgicos: primeiramente, é feito um exame de imagem, como tomografia computadorizada ou ressonância magnética. Com o resultado, faz-se a reconstrução e impressão em 3D. Dessa maneira, essa réplica do paciente em escala real permite que o médico cirurgião possa planejar e simular o procedimento cirúrgico.

Avanços e perspectivas para a tecnologia de impressão 3D no setor médico

Em 2015, uma pesquisa realizada pelo especialista em consultoria empresarial, A.T. Kearney, apontou que o mercado de impressão 3D movimenta em torno de USD 4,5 bilhões, podendo chegar a USD 17,2 bilhões até 2020. Atualmente, desse quantitativo, a pesquisa identificou que o setor de saúde representa de 15 a 17% desse mercado de impressão 3D. Nos próximos cinco anos, pode ter um acréscimo e representar 20 a 25%.

3d-printingAlém dos usos em pesquisas na área médica, há experimentos, inclusive, de impressão de remédios. O químico Lee Cronin, da Universidade de Glasgow, Escócia, desenvolveu um experimento com a impressão do anti-inflamatório ibuprofeno. No entanto, para esse tipo de uso, ou seja, impressão de materiais farmacêuticos, o estágio de desenvolvimento é apenas conceitual.

Já quanto às vacinas, o geneticista Craig Venter vislumbra a possibilidade de serem impressas em 3D, porém isto ainda é embrionário e está mais na fase de especulação.

Se em alguns segmentos, como na Medicina, a inovação da impressão 3D está avançada, em outros, como materiais farmacêuticos e biológicos, estão em estágio de pesquisa e desenvolvimento. Independentemente disso, as impressões 3D já são uma realidade e continuarão, cada vez mais, integrando todas as áreas da sociedade, trazendo inúmeros benefícios e avanços.

E você, leitor, o que pensa sobre o uso de impressões em 3D na medicina?

Compartilhe com a gente sua opinião! Escreva para nós nos comentários e até a próxima!


BI

Deixe uma resposta