2016-11-22

Como a internet das coisas (IoT) vai impactar seu negócio

A internet das coisas (do inglês internet of things) é a tendência de não apenas os computadores, mas praticamente todos os objetos que usamos em nosso dia a dia estejam conectados o tempo todo à grande rede de computadores.

Essa mudança vai muito além de usarmos tablets e smartphones para acessar a internet. No futuro carros, prédios e até sua geladeira estarão conectados à internet, usando sensores wireless, inteligência artificial e nanotecnologia para enviar e receber dados, além de tomar decisões complexas baseado neles.

Esse novo mundo de possibilidades irá afetar a forma como fazemos negócios. Se hoje as decisões de compra são influenciadas pelo que se vê na internet, no futuro elas poderão ser tomadas pelos próprios equipamentos.

internet-das-coisas-iot

Autonomia

Várias empresas já trabalham forte para viabilizar a internet das coisas, um mercado do qual se espera um crescimento forte para os próximos anos. Montadoras já testam os primeiros carros munidos de inteligência artificial avançada que podem desde identificar o proprietário e personalizar funções até se comunicar por meio de sensores wireless com outros automóveis e até com a própria estrada.

internet-das-coisasEspera-se que o uso cada vez maior de inteligência artificial permita que os aparelhos, baseados em histórico ou em parâmetros previamente estabelecidos, tomem decisões cada vez mais complexas. É o equipamento de tevê que grava o seu programa preferido automaticamente caso você não esteja em casa ou o despertador que não te acorda porque sua reunião foi cancelada.

A internet das coisas abre um novo mundo de possibilidades para aparelhos e aplicações realizarem tarefas que antes dependiam da intervenção direta do usuário.

Cada vez menores

Uma limitação à internet das coisas sempre foi o tamanho dos equipamentos. Sensores wireless costumavam ser grandes, o que dificultava seu uso em objetos como relógios ou óculos. A nanotecnologia vem desenvolvendo sensores wireless e processadores cada vez mais compactos, permitindo seu uso nos mais diversos artefatos.

Isso é importantíssimo, já que o design é fator decisivo para a compra de gadgets para a maioria dos consumidores.

Por outro lado, a nanotecnologia abre espaço para o uso cada vez mais severo de inteligência artificial no ramo da medicina. A internet das coisas passa a permitir dispositivos de monitoramento capazes de tomar ações em prol da saúde do paciente.

Na medicina

A internet das coisas irá revolucionar a forma como as pessoas tomam conta de sua saúde. O acesso cada vez maior à informação por parte dos usuários está permitindo que eles tomem ações proativas e preventivas quanto ao bem-estar.

IoTImagine relógios que possam medir batimentos cardíacos e pressão arterial, roupas capazes de identificar problemas com a análise do suor, avisando o usuário sobre alterações nos níveis de diabetes, por exemplo?

Já é possível utilizar copos para beber água que liberam vitaminas e proteínas no líquido, mas eles podem fazer mais, como usar inteligência artificial para alterar a composição de acordo com os dados recebidos pela detecção feita pelos sensores wireless da vestimenta.

Isso levando em conta apenas aparelhos para o dia a dia, mas as aplicações médicas podem ser muito mais específicas: pacientes podem ser monitorados em casa por uma rede de sensores wireless e a família ou os médicos ficam avisados em caso de alterações que exijam atenção.

A telemedicina irá se beneficiar muito da internet das coisas. Muitos procedimentos feitos hoje em loco poderão ser feitos em breve a distância. Até mesmo as caixinhas onde guardamos nossos remédios terão inteligência artificial ao ponto de avisar que o medicamento está terminando ou expirando o prazo da validade e até mesmo realizar novas compras.

Oportunidade de negócio

Clínicas e hospitais precisarão se modernizar para aproveitar os benefícios da internet das coisas. O leito de um hospital será um equipamento dotado de nanotecnologia e sensores wireless capazes de tomar decisões e prover dados importantes sobre a pessoa que ficará deitada nele.

Luzes, elevadores, painéis de informação. Pense quando todos esses equipamentos operarem em conjunto, trocando informações, priorizando os atendimentos de emergência, ao mesmo tempo mantendo médicos, funcionários, pacientes e familiares informados em tempo real sobre tudo o que está acontecendo?

Esse não é um futuro possível, mas provável. A internet das coisas já está funcionando e a tendência é de crescimento acelerado. Quem se adaptar a ela e souber utilizar seus benefícios terá grandes chances de colheita farta. Quem ficar para trás corre o risco de ficar pelo caminho.

Para saber mais sobre essas e outras novidades da área da saúde, continue com a gente! Estamos sempre de olho nas novidades que trazem benefícios para a saúde dos pacientes e eficiência nos processos médico-hospitalares. Até a próxima!


rastreabilidade

Deixe uma resposta